"O mundo é feito de cores, sons e cheiros..."

Técnicas de animação II
MOTION-CAPTURE

 

Querendo ir além de somente atores CG, em 2002 foi a primeira vez em que, quem dava o comando para o personagem CG não era somente o técnico atrás do computador, e sim o próprio ator. Essa técnica, uma das mais extraordinárias, se chama Motion-Capture, ou Performance-Capture

 

  

 Uma simulação de Motion-capture. Pode-se ver os pontos brilhando, que são os sensores que transmitam o movimento para o computador

 

 

Com essa técnica e software em mãos, era possível registrar movimentos mais reais aos personagens em CG. Com um ator com uma roupa, parecendo um robô, com pontos estratégicos colados na roupa, em pontos principais como o seus joelhos, ombros, basicamente em suas juntas, era possível registrar esses movimentos no computador, sem que se precisasse mexer frame por frame para ter um movimento desejado.  

 

 

No filme “O senhor dos anéis, as duas torres” foi quando esse ator CG “Gollum” – representado por Andy Serkis brilhou, e em 2003 até ganhou um Oscar.

 

  

Acima podemos ter uma ideia de como foi feito o “Gollum”. Primeiro e modelado, depois renderiza

 

 

 

Técnica “Universal Capture”

O ano de 2003 também trouxe a surpresa do filme “Matrix Reloaded” e a técnica “Universal Capture” um efeito nunca visto antes, um dos mais espetaculares. O efeito em si não durava muito, mas a reação do publico ao ver esses preciosos segundos de efeito foi de delírio. O efeito é conseguido através de varias câmeras ao redor do objeto, (normalmente o ator). Todas as câmeras filmam no mesmo tempo e espaço, assim, pegando um ângulo de 360º. Tendo esse material nas mãos, os produtores, encaixam cada frame em seqüência conforme a câmera e o efeito desejado. O efeito de ilusão depende do que o produtor quer, sendo ele slow-motion ou ate mesmo parar o tempo, e girar, tendo uma visão geral dos atores e objetos parados. Em 2004, seguindo o modelo de Gollum e usando a técnica de motion-capture, o diretor e produtor Robert Zemeckis, faz uma animação completamente diferente de todas as outras, em todos os tempos.

 

“O Expresso Polar” com seu ator principal, Tom Hanks em uma animação de 99 minutos, sendo que Tom Hanks fazia papel de 5 atores CG.

   
Pode-se ver Tom Hanks atuando, e passando sua ação para o boneco CG.

 

       

 

 

Em vez de mistura CG com pessoas reais assim como no filme “O Senhor dos Anéis”, o “O Expresso Polar” era totalmente CGI. Porem com um aspecto igual ao do filme “Final Fantasy”, um filme simulando pessoas reais, que movimentos CG não fluíssem tão bem quanto de um ator real. Com o filme “O Expresso Polar” pode-se ver que os atores tinham um movimento bem parecido com seres humanos reais, criando uma nova barreira de cinema, misturando duas técnicas, para se fazer um filme, motion-capture com CGI.

 

Com essa evolução de técnicas e idéias maravilhosas, temos uma infinidade de meios de produção e direção. Concluindo o texto, vale a pena citar as produtoras mais famosos que fazem a magia acontecer: Pixar, Walt Disney, Blue sky, Warner Brothers e outros. Falar sobre o futuro, é uma coisa incerta, pois como vimos ao longo do texto, uma década faz muita diferencia entre técnicas, a única coisa que podemos ter certeza é que esse meio é infinito em questão de softwares e a única coisa que precisa para ser diferente é a imaginação. Não podemos saber se o futuro vai ser totalmente digitalizado como nos filmes Beowulf, O Expresso Polar e Final Fantasy, pois fazer e criar um ator CG nunca vai poder substituir um ator verdadeiro, em questão de sentimento, emoção e interação. Com todos esses softwares e técnicas, o futuro da animação só dependerá da imaginação!


Direitos reservados
(Eduardo de mello e Marco Michels)

Fonte:
youtube.com

http://animablog.wordpress.com
 

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode